Amizades Lisboetas

domingo, 26 de abril de 2009

Nunca me esqueci dos amigos do Brasil e eles sabem que são mesmo inesquecíveis para mim. Só que dessa vez, eu quero apresentar alguns dos novos amigos que fiz aqui em Lisboa.

Pessoas que sempre me deram muita força pra seguir em frente e que sempre estão prontas para tudo. Para começar quero apresentar uma "rapariga" (no sentido português da expressão) chamada Ruth de Frutos, a espanhola.

A Ruth vivia em Valladolid, na Espanha. Há quase um ano ela está no programa de intercâmbio Erasmus, a estudar aqui em Lisboa.

Eu a conheci na faculdade logo no começo quando ambos entramos no curso. Ela não sabia muito português e eu não sabia muito espanhol, mas, nada que um portunhol bem arranhado não resolvesse.

Ela mora numa república (que em Portugal chama-se residência) com mais espanhóis. A amizade começou mesmo quando ela me convidou para um almoço na residência. Depois disso até jantar brasileiro já fiz para a nossa turma de amigos.
Logo já estávamos a sair juntos na night lisboeta e para dizer a verdade, diversão garantida.

Como eu, e ela também, não poderíamos deixar de aproveitar o facto de sermos de nacionalidades diferentes, costumamos sempre marcar o que ela chama de "café-aula-de-português", que nada mais é do que escolhermos uma bela de uma cafeteria, sentar e ficamos ali a tarde toda treinando o português, e eu a arranhar o espanhol. Aliás, o nosso café favorito é o "Pois, café", fica em Alfama e eu indico de verdade para quem estiver a passeio por Lisboa.

Assim como eu, a Ruth também faz jornalismo, um facto curioso que aconteceu com ela foi quando estagiava em um jornal da Espanha e foi enviada para entrevistar nada mais nada menos que um tal de Lula, sim, sim, aquele Presidente do Brasil. A Ruth adora o barbudo com nome de molusco, isso porque ela é esquerdista. As nossas brigas políticas são frequentes porque tenho uma visão política mais voltada para direita.

Com essa espanhola já aprendi muita coisa. Ela participa do grupo de amnistia internacional e já foi parar na Argentina onde trabalhou com as vítimas da ditadura de Perón. Ela tem sempre muita história para contar, muita coisa que nos fazem emocionar de verdade. A Ruth já se tornou amiga de uma tal forma que frequenta minha casa e meus pais e meu irmão são fascinados por ela.

Actualmente o nosso grande problema é que em Julho o programa de Erasmus dela chega ao fim, ou seja, ela volta para Espanha. Nem costumamos parar para falar disso, porque vamos sentir muita falta. Mas a Espanha é logo aqui do lado e as visitas serão frequentes, assim espero.

Foto tirada no "Pois, café"

3 COMEN TÁRIOS:

Ruth disse...

Muito obrigada. Obrigadíssima.

No tengo palabras en portugués para explicar lo agradecida que estoy por este post así que lo hago en español. Muchísimas gracias por hablar de mí así. Todo lo que cuentas, cómo lo cuentas, todo lo que hemos vivido, nos hace estrechar los lazos de uno y otro lado del océano.
Ya sabes que siempre tendrás una amiga española, que te quiere con locura.

gustavo disse...

Muito bom ver os teus tranalhos, mesmo os pessoais (novelas da sua vida real), tem futuro!! hehehe
Abraço amigo

junior disse...

cara,essa mulher e muito linda,e isso ta me parecendo mais que uma bela amizade.pede logo ela em casamento.