Filmes brasileiros em Portugal

segunda-feira, 27 de abril de 2009

As produções cinematográficas brasileiras normalmente não têm tanto destaque e demoram séculos a chegar nos cinemas convencionais portugueses, isso quando chegam.

Foi o caso do “Tropa de Elite” que só estreou realmente nos cinemas portugueses mais de um ano depois da estreia no Brasil. Para mais, a seguir a tendência brasileira, a maioria dos portugueses já o haviam assistido na versão pirata – sim, a pirataria também é uma realidade por aqui.

Só que dessa vez para a minha surpresa, um filme brasileiro estreou em todos os cinemas portugueses pouco tempo depois da estreia no Brasil: “Última Parada 174” [Ônibus 174].

Eu assisti o documentário que baseou esse filme ainda na faculdade em Goiânia. Achei uma produção fantástica porque nos coloca para pensar no que normalmente não pensamos: o que leva uma pessoa a se tornar um bandido?
Para quem não conhece, o documentário e o filme contam a história real de Sandro Barbosa do Nascimento, um rapaz que, no ano 2000, sequestra um ônibus da linha 174 no Rio de Janeiro e tudo começa a ser transmitido ao vivo [em directo] pelos canais de televisão.

O documentário mostra tudo o que Sandro já havia passado até chegar ao ponto do sequestro, como exemplos, a Chacina da Candelária, a falta de oportunidade profissional por morar em uma favela e a ausência de assistência do Governo nas comunidades carentes. Além de abordar também a função dos meios de comunicação de massa na sociedade.

O filme está indicado para quem ainda não assistiu no Brasil ou em Portugal. Eu também vou assistir por aqui já que, vale ressaltar, o filme foi escolhido pelo Ministério da Cultura como representante do Brasil na categoria de melhor filme estrangeiro no Óscar 2009.

Agora, a nível de curiosidade para os brasileiros ou caso você seja português e nunca ouviu falar de “Ônibus 174”, talvez seja porque o filme teve o nome “traduzido” para português de Portugal como: “Autocarro 174”.

5 COMEN TÁRIOS:

Renato Dering disse...

Autocarro 174. Documentário bem produzido mesmo. Assiti ele creio que junho/julho do ano passado, a data não importa. Porém diferente dos demais "filmes de favela" que nos (brasileiros) promulga mundo a fora, temos nesse uma sequencia de fatos, de historias e de indagações. Não é um bandido qualquer, é Sandro. Não é um alguém que se tornou bandido por morar em favela, mas um humano que tem caminhos a seguir de acordo com o leque que ele possui. Muito bom Netto. Abraço!

Ruth disse...

Mmmmm... gostava inmenso de vê-lo. Ainda está nos cinemas?

Mônica disse...

Gostei do tópico... Eu vi esse filme e achei excelente, e olha que eu nao sou muito fã de documentários... Acho que o diferencial do cinema brasileiro é justamente mostrar a realidade cruel porem verdadeira. Já ouvi criticas dizendo que é uma propaganda negativa... Respeito as opinioes, mas nao se trata de propaganda, se trata de realidade...

Chantall Stilus News disse...

É um Documentário brilhante e agora com o Ônibus 174 ficou melhor ainda. Nunca me esqueci desse dia horrível que parou o Rio de Janeiro, ou melhor o Brasil!
No outro dia seguinte dava medo de pegar qualquer ônibus pela cidade maravilhosa, minha nossa.

Renata Gervatauskas disse...

Olá, Antonio! Fui fazer uma busca no Google e, sem querer, vim parar aqui. Adorei o seu espaço, a sua naturalidade em lidar com as diferenças culturais, a sua capacidade de adaptação, alegria, enfim. Parabéns! Eu e meu noivo estamos aqui há quase 4 meses e, infelizmente, nosso processo de adaptação (principalmente o meu, em especial) não está sendo dos melhores. Muito bom ver que há pessoas que conseguem enxergar tudo pelo lado positivo. Nós também temos um blog no qual contamos um pouco sobre a nossa experiência por aqui (está um pouco desatualizado porque temos a preocupação de selecionar apenas as experiências positivas para contar, rs). Depois dê uma olhada lá: www.suandoobigode.wordpress.com
Seria muito legal mantermos contato contigo. Acabei de te adicionar no facebook. Meu nome é Renata Gervatauskas.
Temos na gaveta um projeto de documentário e acho que vai ser legal batermos um papo qualquer hora.
Meu email é renatauskas@gmail.com
Escreva-me quando puder.

Bj,

Renata